Bem-vindo!

Neste blog, poderemos contemplar a via láctea da literatura. Aqui, você poderá não só tecer análises críticas sobre as obras e os autores discutidos em sala, como também postar sugestões de leitura, links interessantes, propor debates sobre obras literárias, brincar de esconde-esconde numa nebulosa e voltar para casa em um lindo balão azul. Pegue carona na cauda deste cometa!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Charles Dickens




Abaixo estão os links para os textos que trabalharemos nos dias 19 de abril Turma B e 26 de abril Turma A.

O guinéu da órfã
Horácio Sparkins

Abraços,
Akeber

5 comentários:

  1. É surpreendente ler as obras de Dickens, visto que, ao ler os dois contos indicados, nos deparamos que a nossa sociedade continua a mesma,"preconceituosa", não respeita os sentimentos das pessoas, e o que importa para ela é o dinhero. No primeiro conto " O Guinéu da òrfã", é uma grande demonstração de amor e ingenuidade da parte da inocente Tereza ao ofertar ao estranho tudo o que possuía, sendo que esse rapaz poderia pegar o guinéu e sumir, mas para a nossa surpresa, a história se reverte o suposto primo rico, não passava de um grande milionário, que retribuiu em dobro a generosa ajuda de Teresa, no qual o milionário não deu se importou com o fato de Teresa ser coxa. Já no segundo conto "Horácio Sparkins", deixou bem claro que as aparências enganam, retratando o lado interesseiro da sociedade. Que a família Maldeton, observaram o suposto Horácio Sparkins", que parecia ser de uma família nobre e se vestir bem, que ele poderia ser um forte candidato para namorar a filha Teresa que já ia completar 28 anos de idade e ainda não havia se casado. Os pais de Teresa que eram uma família rica, pensaram que a filha tiraria sorte grande em casar com Sparkins, pois era um rapaz bem afeiçoado, sabia se portar diante das pessoas como um Lord e falava com um advogado, que mais tarde por ironia do destino é desmascarado, quando a Senhora Maldetron resolve sair para fazer compras com suas filhas e para economizar um pouco mais, param em uma loja de aparência suja, mas com as mercadorias vendidas abaixo do preço. Quando de repente o gerente da tal loja solicita que seu funcionário as atendam, é onde é desfeito todo o mistério do então misterioso "Horácio Sparkins", é um simples funcionário chamado " Samuel Smith ".
    Gostei muito de ler esses dois contos, pois causa em nós um sentimento de revolta com a nossa sociedade que é tão cruel com as pessoas, no qual só sobrevive quem tem dinheiro.
    Greice Mara- 7º Semestre

    ResponderExcluir
  2. Katiúcy Mateus Da Silva26 de abril de 2010 12:24

    Dickens nos impulsiona a ler seus contos á partir de uma escrita simples e de fácil compreensão.
    Foi surpreendente a leitura de seus contos, porém o que mais me chamou atenção foi: "O Guinéu da Órfã", um texto incrível que nos permite viajar em nossa imaginação.

    ResponderExcluir
  3. Ôpa.ò eu aqui!pra falar de que?pra falar de quem?
    Do incrível, inacreditável,incomparável...
    CHARLES DICKENS!!!
    Dá pra perceber que eu ostei dele?hehehe...
    Amei suas obras, principalmente a do Guinéu da òrfã, que foi como o conto da cindereeelaaaa!AiAí, como o amor é lindo♥♥♥
    Depois desta descoberta literária acabei por despertar o interesse de procurar outras obras do ♥Charles...♥
    Então táh,agora preciso ir pois tenho um encontro, vou cair nos braços da literatura romantista!
    bye

    ResponderExcluir
  4. Gislaine BLUSH, em homenagem ao Hugo Gloss29 de abril de 2010 12:30

    Charles Dickens nos presenteia com um conto com uma linguagem polida e que mostra como os ingleses são reservados e contidos nas suas emoções. No conto do Guinéu há momentos que você espera um "arrombo" das personagens, porém ele não acontece, por exemplo, o primo pobre fica furioso quando não entregam a muleta para Tereza, porém ele não enfrenta seus parentes de frente, ele age de outra forma, comprando o vestido e reavendo a muleta na surdina. Enfim, tomando a frase atribuída à Álvares de Azevedo, Dickens é digamos "o mais romântico dos clássicos e mais clássico dos românticos".

    ResponderExcluir
  5. Um classico até hoje muito copiado nas mais diversas formas ( filmes , livros ) inspirados no Cristman´s Carrol - Um conto de Natal é a minha obra favorita pois retrata a tempo tanto continuando atual um mal do homem que á a avareza quem tiver a oportunidade tenho certeza que não se arrependerá . mariana Arruda 8 semestre

    ResponderExcluir